quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Sempre alerta!


O autor do blog ouviu de um empresário do ramo de comunicação, há mais de uma década, que em Manaus, ninguém vende, o consumidor é que compra. Ele se referia ao despreparo da maioria na equipe de vendas, da Zona Franca da época e, ao tratamento dispensado no ato, da relação comercial.

Lembrei dele ao passar momentos desagradáveis, quando fui fazer a compra de um equipamento que faz parte de um antigo sonho, guardado na memória há vários anos.Hoje o que existe é um embate. 

A malícia voltada para você, caro cliente, merece toda defesa possível. Se vossa pessoa for um inocente e for adquirir conhecimento gradativo, vamos dizer, da tecnologia que for comprar, não terá muita chance de se defender, da maldade já preparada por alguém, que ao invés de prestar serviço de qualidade oferecendo satisfação ao consumidor, inverte os valores e, tenta "empurrar" algo com defeito, não perceptível digamos, de primeira.

Não vou me estender por hoje com detalhes, mas fui vítima de um vendedor que depois de exibir suas habilidades, se mostrou desconhecedor do equipamento que comprei, em suas minúncias e ele se dizia "profissional". Não foi.

Quem é verdadeiro em sua atividade, jamais busca causar prejuízo, a quem não possui conhecimento de determinados equipamentos ou aperelhos, com tecnologia sensível e avançada e ainda está pagando caro por isso. E o que é mais importante, a vista e, em dinheiro vivo.

Quando retornei ao estabelecimento, para reclamar do defeito encontrado no produto, que pode muito bem ser ignorado ao primeiro contato, encontrei cinismo, malandragem e até clima de imposição. Tive que alterar o tom da voz, que sai naturalmente, quando alguém tenta me tratar feito criança. quem não se irrita num caso desse tipo?

Teria um material digno de ser reproduzido em rede nacional, se houvesse uma equipe comigo, para mostrar como o consumidor é lesado, por não atentar para o que está fora da sua visão a priori.

Cai numa "arapuca" dentro de uma loja de reconhecida importância e tradição local. Lembrei de uma grande rede do ramo de eletrodomésticos, que deixou por aqui, uma popularidade explícita na frase: "sua satisfação garantida, ou o seu dinheiro de volta". Os proprietários da empresa, que ficará sem identificação nesta postagem, não venceram enganando merecendo o lugar de destaque com respeito, pelo trabalho honesto que desenvolvem há décadas e décadas, nesta região.

Não foi esse o padrão encontrado em outra rede, que por enquanto não vou citar o nome. Lá, as armadilhas podem lhe pegar, se você não for conhecedor abalizado do produto que pretende comprar.

Quando é perceptível que estão lidando com quem conhece, há uma estratégia diferente. Mas mesmo assim, é preciso ficar de olho, também na emissão da nota fiscal, que passa por uma verdadeira maratona, até ser expedida.

Estou no prejuízo e o que resta agora é seguir a minha via - não sei qual nome dou a ela - em busca da reparação, de algo que não causei.

Cuidado consumidor, vistorie tudo o que comprar! Faça isso com absoluta desconfiança, porque ao começar usar o que levou para casa, poderá ser tarde demais, descobrir algo oculto ou fora da sua percepção inicial. Então, não haverá tempo hábil, diante da lei fria e da maldade engendrada.

Vou voltar com este assunto. Lógico, enquanto eu viver.

Entidades de defesa do consumidor:
http://www.mpdft.gov.br


Dois meses depois desta postagem, consegui ser atendido pelo proprietário (sócio) da loja, que trocou o equipamento por outro modelo igual e novo. Não vou citar seu nome, atendendo ao seu pedido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade a casa é sua!