segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Negócio da China


As lanchas a jato, vão perder demanda mas, não significa que vai acabar o serviço. As variações nos modelos permite maior conforto e acomodações diferentes, com assentos duplos.

Este aqui, me levou do porto de São Raimundo até a praia do Brito no Iranduba-AM; a sensação que tive foi de um pouco mais de 5 minutos na travessia. Cerca de 14 passageiros no mínimo estvam no pequeno barco; registrei essa foto no meio da embarcação.


Esta é a chegada no porto flutuante no centro, em modelo um pouco maior, mais confortável e de altíssima velocidade.


Eis a parte interna em foto tirada durante a rápida viagem rumo a Manaus.


A matéria do jornal a crítica online divulga que o faturamento diário nas lanchas - também chamadas de voadeiras - chega a média de R$ 150 (cento e cinquenta reais) por dia; o que é uma inverdade, se for feito o cálculo só de duas viagens; e são dezenas, feitas por uma só unidade ao longo do dia. É um negócio da China e lotado de malandragem em volta. É bom ir lá e conferir os tipos gaiatos que dá até receio.

Tem que ficar pianinho vendo as galhofadas e gargalhadas estrondosas. Este serviço precisa ser melhorado e monitorado. Os "figuraças" só se comportam melhor com turistas. Eu vi de perto.

Informações e última foto da postagem, a crítica online.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade a casa é sua!