sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Flamaster em Maués-AM

http://dembsp.blogspot.com.br/2013/11/flamaster-em-maues-am.htmlNa foto Jorge Luís Andrade da Silva, nascido em Juiz de Fora-MG, em 21 de abril de 1957.
Aqui o atual treinador de futebol e ex-craque, carrega a bagagem para decolar em avião de pequeno porte do Aeroclube de Manaus, no domingo 17 de novembro de 2013, para seguir rumo ao município de Maués-AM, onde o time Flamaster se apresentou no mesmo dia, na reabertura do estádio Manoel Baraúna Filho. 

Contar a trajetória do ex-volante, requer muito texto. São seis títulos de campeão brasileiro; cinco como jogador (quatro pelo Flamengo e um pelo Vasco); como técnico, um pelo Flamengo em 2009, quando foi eleito o melhor treinador do Campeonato Brasileiro.

Andrade dirigiu a equipe Master do Rubro-Negro carioca, recheada de nomes como Rondineli, Adílio, Cláudio Adão, Nélio, Beto, Piá e Gilmar, o Popoca, um


http://dembsp.blogspot.com.br/2013/11/flamaster-em-maues-am.html
amazonense que brilhou no time nos anos de 1980; além do goleiro País, que é convidado do elenco; bem como outros grandes jogadores. Na foto ao lado, os ídolos estão na frente do hotel em Manuas-AM.






http://dembsp.blogspot.com.br/2013/11/flamaster-em-maues-am.html
Na foto lateral, a equipe do Flamaster se posiciona na pista do Aeroclube de Manaus, antes de partir para a viagem. Fãs dos craques entraram na foto; inclusive um Tricolor!
A partida contra a Seleção Master da Terra do Guaraná, realizada no início da noite, terminou empatada em 1x1.
O autor do blog acompanhou a delegação do Flamaster, desde a chegada em Manaus, até a ida para Maués, distante mais de 300 quilômetros da capital do Amazonas. Para chegar lá, só de barco ou avião.


http://dembsp.blogspot.com.br/2013/11/flamaster-em-maues-am.htmlTenho muito para relatar aqui, sobre a emoção do povo do querido município e das conversas que tive com os ídolos. Todos os integrantes da equipe carioca, foram gentis com os fãs e promotores do evento. 

Mas vale ressaltar que os responsáveis pela organização do mesmo, poderiam pelo menos, ter proporcionado aos visitantes um passeio pela orla do município para conhecer os pontos principais, como a Ponta da Maresia. E lógico, a fazenda da grande indústria nacional que se instalou em Maués, para cultivar e comercializar o guaraná. 

Enfim, todos os organizadores do evento perderam a chance de mostrar o fruto que virou lenda na região; no entanto, posar em fotos ao lado dos célebres nomes, foi a tônica do acontecimento; o toque politiqueiro, esteve sempre presente.

As falhas foram visíveis, em um lugar tão pequeno e de um povo tão acolhedor; aliás, se dependesse da população o tratamento seria bem melhor.   

Fotos: Aldemir Bispo 

2 comentários:

  1. Blog encantador,gostei do que vi e li,e desde já lhe dou os parabéns,
    também agradeço por partilhar o seu saber, se achar que merece a pena visitar o Peregrino E Servo,também se desejar faça parte dos meus amigos virtuais faça-o de maneira a que possa encontrar o seu blog,para que possa seguir também o seu blog. Paz.
    António Batalha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato Antonio.

      A ideia de postar em um blog não foi realizada na sua plenitude. As dificuldades encontradas foram muitas e fiquei muito tempo parado: como segue até agora. Vou procurar seu blog para seguir. Saúde.

      Excluir

Fique à vontade a casa é sua!